Os carros com câmbio automático têm recebido cada vez mais espaço entre os motoristas do Brasil e, com isso, algumas dúvidas têm surgido. Mas antes, se você ainda não entende as diferenças entre câmbio automático e automatizado, recomendamos que leia o artigo que preparamos sobre este assunto clicando aqui.

Dentre essas dúvidas, uma das mais comuns é relativa ao significado das letras presentes no câmbio automático, principalmente por causa de alguns modelos que trazem letras e números além dos tradicionais PNRD.

Por isso hoje viemos esclarecer o que as letras significam e dar algumas informações a mais que podem responder questões na cabeça de quem possui um veículo que conta com este recurso. Confira:

No seletor de posições do câmbio automático, você pode encontrar símbolos como:

  • P – Park (parar, estacionar). É o ponto em que você deixa o carro quando vai pará-lo.
  • N – Neutral (neutro). É uma opção similar a do famoso ponto morto dos carros manuais. Não bloqueia as rodas de tração. Você pode utilizá-la tanto para dar partida no veículo quanto para paradas rápidas.
  • R – Reverse (ré). Como você já deve ter percebido, é a já conhecida marcha ré.
  • D – Drive (dirigir). É, de longe, a posição que você mais utilizará ao dirigir, uma vez que só precisa acelerar e frear. É a posição utilizada para o veículo se movimentar.
  • 1/L, 2 ou 3. Estas opções definem a limitação de marchas que a troca do câmbio automático fará. No ponto 1 ou L (low, que vem do inglês e significa “baixo”), o carro não sairá da primeira marcha. No ponto 2, a variação ficará entre as duas primeiras marchas. E, no ponto 3, a mudança se restringirá entre primeira, segunda e terceira marcha.

Geralmente, os pontos mencionados no último tópico são utilizados para realizar subidas e descidas mais inclinadas.

A marcha 1 é a que possui mais força no automóvel e por isso é indicada para subidas acentuadas com o veículo carregado.43

A marcha 2 é bastante recomendada para descidas, já que permite um certo controle, como uma espécie de frenagem, sobre o carro durante a ação.

Vale a pena investir em um carro com câmbio automático? 

A escolha do câmbio do seu veículo depende das suas necessidades. Para ajudar a fazer essa escolha, nós já listamos em outro artigo as vantagens e desvantagens de cada tipo de câmbio. Você pode conferir o artigo clicando aqui.

A reputação que perdura há anos sobre os gastos gerados pelo câmbio automático precisa ser revista. Por isso, vale salientar que a diferença destes para os gastos causados pelos câmbios manuais já não são tão grandes atualmente. Mas sim, ainda existe certa discrepância.

As empresas automobilísticas têm investido mais em tecnologia para aprimorar o desempenho dos câmbios automáticos, o que tem os tornado cada vez mais eficientes e econômicos.

Mas de qualquer forma, o zelo do proprietário é sempre o melhor aliado na hora de evitar gastos. Fique atento ao manual do veículo para saber quando se deve efetuar a troca do fluido de câmbio. Alguns modelos solicitam a mudança a cada 40.000 km, ao passo que outros a pedem a cada 80.000 km, e etc.

A troca do líquido de arrefecimento também é um ponto que merece destaque. Se houver aquecimento no motor, também haverá nos componentes do câmbio, o que pode gerar uma dor de cabeça enorme.

Os câmbios automáticos são só mais uma das evidências que mostram como a tecnologia tem influenciado cada vez mais no nosso dia a dia e no modo de dirigir. Os fabricantes precisam se adaptar à evolução do mundo ou acabam ficando para trás na disputa pelos clientes.

E se você quiser ficar sempre atualizado e bem informado sobre as novidades tecnológicas do mundo automobilístico e como elas interferem no seu veículo, não se esqueça de se inscrever no nosso newsletter para ser avisado sempre que surgir algo novo no nosso Portal!